Quarta-feira, 16 de Fevereiro de 2005

Notas breves do debate...

Imagino a bonomia do professor Cavaco Silva, quando como hoje ouve o líder socialista afirmar que “a maioria absoluta é boa” ...

Ouvir o líder do partido mais à direita, afirmar que aquilo que os pais querem da escola é que ela ofereça emprego aos filhos e para isso ele defende uma classificação de empregabilidade. Pode até adequar-se aos actuais desejos de muitos país, mas não entendo que um líder político possa confundir a escola com um centro de emprego com cursos de formação profissional. Será um exemplo da denominada campanha pelos Valores que o PP protagoniza?

Sobre Sócrates, “por amor de Deus”, cansa a evocação, o homem até é de esquerda – embora a esquerda desde Guterres já não seja o que era –

Louça tinha que marcar os telejornais de hoje. É disso que o Bloco se alimenta, Não é surpresa como também não surpresa a forma como Santana Lopes se colocou a “jeito” , depois de comprovar a legalidade a única explicação política que deu é, ter copiado o PS.

Independente da atitude do Bloco de Esquerda, este debate deu um “tom” positivo a campanha, não por ter sido um estimulante debate de ideais ou de convicções mas pelo facto de ter corrido quase sempre com elevação.

Enfim num debate em que aquilo que convoca para a simpatia não foram as ideias políticas mas um líder rouco.



publicado por vitorcandidojose às 08:56
link do post | comentar | favorito
|
3 comentários:
De Anónimo a 16 de Fevereiro de 2005 às 18:10
E, mais uma vez, eles falaram, falaram, falaram e não disseram nada!
Há afonias que deviam ser generalizadas.
Porque pelo menos, havia uma causa.Antonio Dias
(http://salvoseja.blogspot.com)
(mailto:adias23@netcabo.pt)
De Anónimo a 16 de Fevereiro de 2005 às 14:38
Vamos ter um fraco Primeiro Ministro...polittikus
(http://polittikus.blogspot.com)
(mailto:pp@sapo.pt)
De Anónimo a 16 de Fevereiro de 2005 às 10:29
Fosse Santana um primeiro-ministro sagaz e o "número" de Louçã, não tinha passado disso mesmo. Ao ter-lhe dado "guita" na segunda parte tornou um "sound bite" num tema que vai merecer como diz (e bem) mais alguns minutos de antena para o Bloco. De facto, o debate decorreu com elevação, a verdade é que o PSD (ou deverei dizer Santana?) já esqueceram os temas "fracturantes" com que começaram a campanha. Luís Sequeira
(http://abnegado.blogspot.com)
(mailto:sequeiralopes@iol.pt)

Comentar post

vitorcandidojose@sapo.pt

.pesquisar

 

.textos recentes

. Pedro Rolo Duarte

. Sem mais.

. É não é

. Soneto de Fidelidade

. Adelaide

. Quando me sinto só

. Urgências...

. CORRESPONDÊNCIA

. Livre

. Com a devida vénia ( blog...

.links

.recordações

. Julho 2010

. Novembro 2009

. Fevereiro 2009

. Setembro 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Março 2007

. Janeiro 2007

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Janeiro 2006

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Agosto 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

blogs SAPO