Sexta-feira, 25 de Fevereiro de 2005

Contingências...

Este espaço vai sendo feito consoante o Tempo do seu autor, tempo esse que nem sempre se inscreve na vertiginosa velocidade jornalística, tão avassaladora que em regra passa pelas coisas sem delas deter o essencial. Enfim as coisas são o que são e isto não é conformismo é talvez consequência da falta de chuva que me seja permitido esta metáfora de certas contingências.


António pode ser um desafio que convida a olhar para dentro de nós partindo de uma vivência ou de um sentir, o importante é deixar as palavras respirarem como este comentário do Luis Sequeira.


 Há dias, horas, minutos em que somos tomados pela vertigem do absurdo. Construimos os sonhos, os mais improváveis, deixamo-nos estar nesse remanso doce da realidade criada (recriada) à luz das nossas ilusões. As mais das vezes acordamos, regressamos ao pragmatismo dos dias, mas há aqueles instantes em que nos deixamos vagar nesse mundo nosso, instantes que queremos e cremos serem verdadeiros. São talvez dos mais profundos e extraordinários, são também raros. Escondemo-nos atrás das máscaras que criamos, vamos controlando o sonhador que há em nós, mas ainda assim lá lhe damos rédea solta de quando em vez, quanto mais não seja para sentirmos que estamos vivos. Acontece (quero acreditar que acontece) por vezes termos na correnteza dos dias, a materialização de um sonho, a força de uma vontade, a justeza de uma crença, a riqueza de um valor, assim, de súbito, transformados em realidade. Eis, pois, o momento fundador para se reiniciar o ciclo! P.S. Texto gongórico, mas na luta contra esse ditador dos nossos dias - o tempo - fica sempre apenas um fio de lucidez.

publicado por vitorcandidojose às 09:05
link do post | comentar | favorito
|
1 comentário:
De Anónimo a 25 de Fevereiro de 2005 às 18:20
Vamos, então, deixar fluir as ideias, os pensamentos...
Boa escrita, a do Luis Sequeira.
Vitor, há tempo sempre que um homem quiser. O tempo é a permanência neste espaço de vida.
Um abraço.Antonio Dias
(http://salvoseja.blogspot.com)
(mailto:adias23@netcabo.pt)

Comentar post

vitorcandidojose@sapo.pt

.pesquisar

 

.textos recentes

. Pedro Rolo Duarte

. Sem mais.

. É não é

. Soneto de Fidelidade

. Adelaide

. Quando me sinto só

. Urgências...

. CORRESPONDÊNCIA

. Livre

. Com a devida vénia ( blog...

.links

.recordações

. Julho 2010

. Novembro 2009

. Fevereiro 2009

. Setembro 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Março 2007

. Janeiro 2007

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Janeiro 2006

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Agosto 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

blogs SAPO