Sábado, 6 de Janeiro de 2007

...

Tudo é vão

Olhes para onde olhares, no mundo tudo é vão!

O que hoje este constrói, um outro arrasará;

Onde hoje se erguem cidades, um prado nascerá

E nele um pastorinho e o gado saltarão

 

O que hoje cresce viçoso, breve será pisado,

o que hoje tem vida e força será cinza letal

Aqui nada é eterno, nem mármore nem metal,

Hoje a sorte sorri-te, amanhã cais prostrado

Desfaz-se como um sonho a glória de altos feitos.

Vence o jogo do tempo, e os homens imperfeitos.

Ah, como é nada tudo o que quer valer mais,

 

Mediocre e mesquinho, sombra, vento e poeira,

Como uma flor do campo a que se perde a esteira!

Não se mostra o eterno aos olhos dos mortais

 

Andreas Gryphius 

 

 

 

 

 

publicado por vitorcandidojose às 15:13
link do post | comentar | favorito
|
2 comentários:
De Teresa a 8 de Março de 2007 às 19:32
A palavra em vão é tao vaga e intemporalç quanto o tempo deixa a pensar
será que a eternidade é em vão?
Em vão pode significar akele p+eriodo de tempo em k temos tudo em suspenso na nossa vida ou então akele sentimento de que tudo o que aconteceu não passou de meros acontecimentos da esfera humana!
De marcos a 6 de Junho de 2007 às 16:51
muy bien

Comentar post

vitorcandidojose@sapo.pt

.pesquisar

 

.textos recentes

. Pedro Rolo Duarte

. Sem mais.

. É não é

. Soneto de Fidelidade

. Adelaide

. Quando me sinto só

. Urgências...

. CORRESPONDÊNCIA

. Livre

. Com a devida vénia ( blog...

.links

.recordações

. Julho 2010

. Novembro 2009

. Fevereiro 2009

. Setembro 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Março 2007

. Janeiro 2007

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Janeiro 2006

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Agosto 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

blogs SAPO