Quarta-feira, 24 de Maio de 2006

Ser II

“...Quão intricado, enfim, este ser humano, passível de sentir e de querer para além do que está ao alcance dos nossos dedos e das nossas forças e de criar em nós mesmos o melhor esboço de carrascos de nós próprios nas nossas magoas e fantasmas, incertezas e medos... e, no entanto, quão ricos na versatilidade de um sorriso ou uma lágrima, um beijo ou um abraço e quão imperfeitos na nossa miriade de prismas todos diferentes... quão orgulhosos de abrir caminho a ferro e fogo de coração ao peito neste mundo em que sonhos às vezes não são mais que miragens...”

 

 

 

publicado por vitorcandidojose às 12:20
link do post | comentar | favorito
|
vitorcandidojose@sapo.pt

.pesquisar

 

.textos recentes

. Pedro Rolo Duarte

. Sem mais.

. É não é

. Soneto de Fidelidade

. Adelaide

. Quando me sinto só

. Urgências...

. CORRESPONDÊNCIA

. Livre

. Com a devida vénia ( blog...

.links

.recordações

. Julho 2010

. Novembro 2009

. Fevereiro 2009

. Setembro 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Março 2007

. Janeiro 2007

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Janeiro 2006

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Agosto 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

blogs SAPO