Terça-feira, 28 de Setembro de 2004

Lembrei-me...

Lembrei-me que continuas no nosso Teatro. Mesmo que o caminho profissional que tomei nos empurre para longe dos “nossos” dias, nada me faz esquecer aquilo que tu és nem a amizade que nos une.
Quero apenas dizer que me encontro na frescura das tuas ideias por mais estranhas que pareçam para quem não acredita e como me fascina a intensidade esmagadora da tua alma. E Clode mesmo quando os nossos sonhos lutam com os nossos dias, mesmo quando há restos de solidão em cada parede e as vozes são apenas ruídos que agudizam as nossas duvidas Tu ergues-te sempre.

publicado por vitorcandidojose às 08:47
link do post | comentar | favorito
|
vitorcandidojose@sapo.pt

.pesquisar

 

.textos recentes

. Pedro Rolo Duarte

. Sem mais.

. É não é

. Soneto de Fidelidade

. Adelaide

. Quando me sinto só

. Urgências...

. CORRESPONDÊNCIA

. Livre

. Com a devida vénia ( blog...

.links

.recordações

. Julho 2010

. Novembro 2009

. Fevereiro 2009

. Setembro 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Março 2007

. Janeiro 2007

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Janeiro 2006

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Agosto 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

blogs SAPO