Quarta-feira, 3 de Novembro de 2004

Noite de Sexta

Os espaços vazios não perduram nas pessoas nem nas estruturas. Quando se promove alguém sem capacidade, quando se oferece um privilegio a alguém sem mérito, emite-se uma mensagem para a estrutura que inevitavelmente abre um buraco no espaço do empenho que é preenchido com a preguiça, no espaço da motivação aparece agora o desinteresse, o orgulho é ocupado pela baixa estima, a justiça pela injustiça, o espirito colectivo pelo individual e nessa altura onde havia união há agora intriga. A Instituição resiste no nome mas enferma nas praticas e mais cedo ou mais tarde a resistência sucumbira e então sobra a mediocridade, deparamos com ela quando ouvirmos que o pouco foi suficiente e o mau foi bom.
publicado por vitorcandidojose às 08:57
link do post | comentar | favorito
|
2 comentários:
De Anónimo a 3 de Novembro de 2004 às 17:28
Vivemos na era das "cunhas"? Há quanto tempo?
Este querido País está paralisado de ideias e mumificado de personagens.
O que sobra é um quase nada de resistência mal amanhada.
Até onde? Até quando?Antonio Dias
</a>
(mailto:adias23@netcabo.pt)
De Anónimo a 3 de Novembro de 2004 às 14:22
Quantas vezes eu já não vivi situações assim... Vivemos na era das "cunhas"!!!Bjs tecpalt
(http://nasei.blogs.sapo.pt/)
(mailto:tecpalt@sapo.pt)

Comentar post