Segunda-feira, 12 de Junho de 2006

Reviver o passado

“...Sendo uma verdade que "o tempo não traz de volta o que o tempo leva", por vezes é bom ir renovar o passado. Percorrer locais que em tempos habitámos e que a hora tardia esvaziou da gente e dos sons que o habitam. Entrar neles lentamente, quase em reverência. Pisar o chão devagarinho, para não acordar o presente. Sorrir ao vazio em conforto melancólico. E apesar de tudo o que o tempo ali mudou, saber ainda refazer cada passo, reconhecer a pedra torta, a árvore que falta, saber ainda das alegrias, do lugar dos medos, escutar as gargalhadas, os passos, o roçar das malas e dos casacos como se naquele momento connosco se cruzassem. Invisíveis observadores, como sempre o presente o é no passado, buscamos neste tipo de viagens temporais não os lugares, mas a nós mesmos. Revisitamos quem fomos, relembramos um certo tipo de inocência, de optimismo e de limpidez no olhar e no final sorrimos a quem fomos com a melancolia, a maturidade e a sabedoria do presente...”

publicado por vitorcandidojose às 10:06
link do post | comentar | ver comentários (8) | favorito
|
Quinta-feira, 1 de Junho de 2006

Auschwitz / Birkenau

   "Por serem fieis a um deus a um pensamento,

   a uma pátria, uma esperança, ou muito apenas 

   à fome irrespondível que lhes roía as entranhas

   foram estripados, esfolados, queimados, gaseados

  e os seus corpos amontoados  quanto haviam vivido "

     

    Auschwitz corre o risco de uma mitificação que não nega a veracidade do que se passou mas tenta impor a mentira da impossibilidade de se repetir. Os alemães empurrados pela vergonha, pela pobreza e pela sede de vingança, afundaram-se na mão de um louco, rodeado por um séquito tão sedento de poder como o dono. Numa espiral em que tudo se tornou possível, apoiaram-se em homens e mulheres alemãs que mais do que obrigados, tornaram-se participantes activos em especial nestes campos de concentração onde guardavam, humilhavam, torturavam e executavam um plano de matança que faziam acompanhar por uma polidez numa mescla de civilização e barbárie, expondo uma falta de caracter e a mais profunda falta de humanidade. Esta espiral da ignominia é ainda hoje ferida viva na Alemanha, não é fácil ter como identidade um povo que é responsável por um dos capítulos mais humilhantes da história. Em Auschiwitz 1 há uma zona que expressa a dimensão desta polida barbárie, um primeiro pavilhão onde as SS realizavam interrogatórios, funcionando também um tribunal sumário e onde se realizou os primeiros testes com gás, tentando encontrar uma forma eficaz de matar o maior numero de Judeus. No pavilhão da esquerda Mengele executava as mais aberrantes experiências em corpos humanos. No pátio que separa os dois pavilhões fuzilava-se judeus. Auschiiwtz , Birkenau como outros campos foram uma industria de morte imaginada por um louco e executada por gente vulgar.

publicado por vitorcandidojose às 11:44
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|
vitorcandidojose@sapo.pt

.pesquisar

 

.textos recentes

. Pedro Rolo Duarte

. Sem mais.

. É não é

. Soneto de Fidelidade

. Adelaide

. Quando me sinto só

. Urgências...

. CORRESPONDÊNCIA

. Livre

. Com a devida vénia ( blog...

.links

.recordações

. Julho 2010

. Novembro 2009

. Fevereiro 2009

. Setembro 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Março 2007

. Janeiro 2007

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Janeiro 2006

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Agosto 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

blogs SAPO