Sexta-feira, 24 de Dezembro de 2004

Urgente

Tenho um normal desapego pela quadra Natalícia independente de ser um dos marcos mais impressivos da nossa cultura quer pela génese Crista quer pela dimensão do ritual pagão que hoje esta quadra tem. Mas aproveito este interregno no nosso normal quotidiano para que as palavras do mestre nos permitam um aconchego, nos questionem e nos lembram como gastas pelo excesso se encontram certas palavras e quão distantes são outras que consequentemente tornam o divorcio entre nós doloroso. É urgente o Amor, que não se compadece com fingimentos de ocasião com mentiras inúteis que muitas das vezes se revelam crueldades requintadas, é urgente o Outro, é urgente permaneSer.

Urgentemente

É urgente o Amor,
É urgente um barco no mar.

É urgente destruir certas palavras
ódio, solidão e crueldade,
alguns lamentos,
muitas espadas.

É urgente inventar alegria,
multiplicar os beijos, as searas,
é urgente descobrir rosas e rios
e manhãs claras.

Cai o silêncio nos ombros,
e a luz impura até doer.
É urgente o amor,
É urgente permanecer.

Eugénio de Andrade

publicado por vitorcandidojose às 01:56
link do post | comentar | favorito
|
2 comentários:
De Anónimo a 27 de Dezembro de 2004 às 12:49
Lindo. Uma verdadeira ode ao amor... Adorei.polittikus
(http://polittikus.blogspot.com)
(mailto:pp@sapo.pt)
De Anónimo a 24 de Dezembro de 2004 às 11:15
Lindo, caro Vitor.
Feliz Natal.Antonio Dias
</a>
(mailto:adias23@netcabo.pt)

Comentar post